NOTÍCIAS

06/21/2022

Inverno deve movimentar varejo de Garibaldi com volume de vendas superior ao período pré-pandemia

O Inverno iniciou na terça-feira, 21 de junho e o Comércio garibaldense tem uma expectativa otimista para as vendas nesta estação. Após dois anos enfrentando diversas restrições nos meses mais frios, o presidente da CDL e vice-presidente do Comércio da CIC, Tiago Furlanetto, destaca que o varejo estima um crescimento acima dos padrões pré-pandemia.
“A expectativa é para o crescimento das vendas em 2022, uma vez que a pandemia havia privado muitas pessoas do lazer e diversão. Com o fim das restrições, as pessoas voltaram a sair de casa e começaram a circular novamente. Por isso, o comércio espera um saldo positivo ao final desse período”, salienta.
Furlanetto diz que a retomada das atividades presenciais demandam a renovação do guarda-roupa das pessoas, somada aos dias com temperaturas muito baixas desde o começo de maio, devem alavancar as vendas de artigos como roupas, calçados e acessórios neste período.
“Apesar de todas essas dificuldades, avaliamos que em 2021 muitos segmentos do comércio apresentaram recuperação em suas vendas e que isso pode sinalizar um 2022 mais promissor”, analisa o dirigente.
Essas expectativas também refletem na geração de oportunidades e empregos. Hoje mais de duas mil pessoas trabalham diretamente no setor do varejo, com carteira assinada. Além do setor de confecções e calçados, o fim das restrições neste Inverno também amplia a busca por opções de gastronomia, aquecedores, vinhos, entre outros.
Ensinamentos dos últimos dois anos já podem ser percebidos nas lojas, como o desenvolvimento de estratégias para impulsionar as vendas, entre elas o uso de redes sociais e atendimento por WhatsApp, tudo para facilitar o contato com clientes e melhorar as experiências de compras.
“É preciso destacar o espírito de resiliência dos comerciantes, que além de recuperar a confiança, demonstraram a importância de união, o que trouxe resultados positivos na questão dos empregos e retomada do crescimento”. De acordo com o presidente da CDL, não há uma previsão precisa em relação ao aumento nas vendas, mas acredita que o Comércio pode alcançar até 30% a mais neste ano, comparado aos dois últimos anos, afetados diretamente pela diminuição da circulação de pessoas.

Compartilhe

Últimas notícias

Como podemos ajudar ?